A Medicina Ortomolecular feita da maneira certa!

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Mito ou verdade: gema de ovo faz mal à saúde?


É bem mais saudável não consumir a gema de ovo? Nada disso! A gema é um verdadeiro reservatório de nutrientes importantes para a saúde, como cálcio, ferro, fósforo e potássio. Ela também é rica em colina, uma substância que serve de alimento para o cérebro, contribuindo para o surgimento de novos neurônios. Vários estudos já demonstraram que o ovo não influencia, como se imaginava, o aumento drástico do colesterol. Então, dá para comer um por dia e sem desperdiçar a gema.

Outra vantagem desse alimento está na presença dos carotenoides, substâncias que vão além de darem a coloração típica da gema. Eles se transformam em vitamina A quando estão dentro de nosso corpo, composto que modula o metabolismo tanto da glândula tireoidiana, quanto o periférico dos hormônios tireoidianos e também a produção do hormônio TSH, aquele que estimula a produção de T3 e T4. Por fim, a gema também transborda em vitamina D. Essa substância não atua diretamente na tireoide, mas se relaciona com a função dos hormônios dessa glândula nos ossos. Não se sabe ao certo como funciona essa relação, mas já foi comprovado que ela existe, sim. A vitamina também participa de diversas funções metabólicas do organismo, e sua deficiência diminui o metabolismo.

A principal recomendação dos especialistas é não consumi-la frita. Aquela história de que o ovo pode aumentar o colesterol já foi desmistificada, mas a versão frita realmente terá uma quantidade elevada de gordura insaturada, o que aumenta as taxas de LDL, o colesterol ruim. Dá para consumir uma unidade duas vezes por semana e ainda variar as preparações passando longe da frigideira.


Fonte: Viva Saúde

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Chá de hibisco para emagrecer


Você já deve ter visto aqui no blog muitas sugestões de chás para incluir na sua dieta, mas a dica de hoje é ainda mais gostosa: o chá de hibisco não é amargo. Tem sabor suave de framboesa - dá até para sentir aquele azedinho da fruta -, além de proporcionar vários efeitos positivos no organismo: estimula a queima de gordura corporal, facilita a digestão, regulariza o intestino e combate a retenção de líquido. Ou seja, é um aliado e tanto na perda de peso. 

O que dá esse poder ao hibisco? Sobretudo a alta concentração de antocianina - pigmento da família dos flavonoides -, que tem ação antioxidante (tira boa parte dos radicais livres de cena) e anti-inflamatória (combate a inflamação das células, permitindo que elas voltem a exercer totalmente suas funções). Resultado: O organismo deixa de acumular toxinas - substâncias inimigas que dificultam o emagrecimento. 

Outras substâncias (enzimas e mucilagens) presentes na planta agem em áreas diferentes. No estômago, facilitam a digestão; no intestino, impedem parte da absorção do carboidrato e da gordura dos alimentos; e nos rins, anulam temporariamente a ação do hormônio antidiurético, quando o organismo aproveita para se livrar do excesso de líquidos. O hibisco também tem vitamina C, que diminui a pressão na parede dos vasos sanguíneos, melhorando a circulação, e cálcio, mineral importantíssimo para os ossos e um facilitador na perda de peso, segundo estudos recentes. 

O chá de hibisco é feito das flores e botões do Hibiscus sabdariffa, espécie diferente daquela ornamental, comum nos jardins. Por isso, confira o nome científico da planta no rótulo. Outro detalhe: o chá sozinho não faz milagre. Ele deve ser associado a uma dieta. E não adianta tomar um chazinho para limpar o organismo e comer alimentos superindustrializados, cheios de toxinas.

Para fazer o chá, leve um 1 litro de água ao fogo. Assim que começar a levantar as primeiras bolhinhas, acrescente 2 colheres (sopa) cheias do hibisco seco (ou 2 sachês). Desligue o fogo, tampe e deixe descansar por 5 minutos (10 no máximo). Coe em seguida. Evite voltar a aquecer para não diminuir os efeitos terapêuticos da planta. 


Fonte: Boa Forma

sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

8 truques para comer vegetais sem fazer cara feia


Pequenos segredos na hora de comprar, armazenar e preparar legumes e hortaliças influenciam (e muito!) no sabor das refeições. Confira 8 truques infalíveis e esqueça a ideia de que esse grupo de alimento não é nada apetitoso.

Abobrinha
Corte fatias bem finas no sentido do comprimento e jogue-as em água fervente com um pouco de sal por dois a três minutos, no máximo. A atenção ao tempo de cozimento e o fato de haver uma maior superfície da abobrinha em contato com a água vão estimular a liberação do sabor.

Espinafre
Leve as folhas inteiras ao fogo, cobertas com água. Quando levantar fervura, desligue, escorra e pique-as bem. Isso irá amenizar o gosto amargo. Para acentuar o sabor, aqueça os pedaços picados em uma frigideira com azeite e amêndoas laminadas. 

Pepino
Corte uma fatia de cada extremidade e esfregue-as no pepino até que saia um líquido. Em seguida, lave bem o vegetal e corte-o. A retirada desse caldinho deixa o pepino mais saboroso e também menos indigesto.

Mandioquinha
Ferva os pedaços em fogo baixo e vá aumentando a temperatura aos poucos. Essa tática vale para vários vegetais, já que as diversas substâncias contidas neles precisam de diferentes temperaturas para liberar seu sabor. Assim, você deixará ele mais agradável ao paladar.

Berinjela
Para dar adeus ao gosto amargo, o truque é cortá-la em cubinhos e levar os pedaços para uma peneira. Jogue sobre eles pitadas de sal e aguarde 15 minutos. Uma pequena quantidade de líquido irá escorrer, levando embora o amargor e deixando o vegetal mais saboroso.

Cenoura
Leve ao fogo uma panela com água e dois anis estrelados. Quando estiver fervendo, acrescente as cenouras, deixando cozinhar por cinco minutos ou até que fique al dente. Esse truque deixará o vegetal mais gostoso.

Rabanete
É muito fácil reduzir o sabor levemente apimentado deste tubérculo. Depois de comprar e assim que chegar em casa, lave os rabanetes e corte a raiz deles — ela é a responsável pelo gosto forte. Outra tática é cozinhá-los antes de servir, pois, quando servidos crus, o amargor é maior.

Alface
Na hora da compra, escolha aquelas cujas folhas estejam mais apertadas em vez de soltas. Ao armazená-la, evite deixar a alface perto de frutas como maçã, pera e banana. Como elas liberam um gás chamado etileno, acabam acelerando a deterioração das folhas e prejudicam seu sabor. 


Fonte: Dieta Já

quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

Queimando gordura corporal com a cúrcuma


A cúrcuma é uma raiz de onde é extraído o açafrão, usado como colorífico na cozinha. Essa planta é bastante conhecida  na região norte e nordeste do país e pertence à mesma classe do gengibre. A cúrcuma possui um pigmento, a curcumina, que lhe dá a cor amarelo-ouro.

Além de melhorar o aspecto dos alimentos deixando-os coloridos, a cúrcuma ajuda a reduzir as gordurinhas localizadas, o que a torna uma opção a mais para auxiliar na queima de calorias potenciando as dietas de redução de medidas.

Alguns benefícios para a saúde também são garantidos pela cúrcuma: melhora a elasticidade e a maciez da pele, protege e ativa as funções hepáticas, melhora a digestão das proteínas e regula o metabolismo das gorduras em geral.

Evidências científicas recentes sugerem que o uso diário da cúrcuma aumenta as defesas contra diversos tipos de tumores, tem alto poder anti-inflamatório e combate o envelhecimento celular e dos tecidos que formam os órgãos do corpo.

COMO USAR A CÚRCUMA EM DIETAS DE EMAGRECIMENTO:

1. Disponível para compra em forma de pó.
2. Guardar o pó de cúrcuma num recipiente seco e limpo.
3. Polvilhar a cúrcuma sobre os alimentos já prontos, antes de servir.
4. Pode ser usado em saladas, carnes, molhos e sopas.
5.  Consumir, no máximo, 1/2 colher (sopa) ao dia.


Fonte: Dieta e Saúde

segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Benefícios do arroz preto


Se no Brasil ele ainda não é tão conhecido, na China ele é cultivado há mais de quatro mil anos. Em terras chinesas, o arroz preto era conhecido como “arroz proibido” porque era consumido somente pelo Imperador e produzido pelos seus súditos. Com fama de produto afrodisíaco e exótico, os benefícios do arroz preto compõem uma lista extensa. A partir da década de 80, a China intensificou a produção desse grão que tem um leve aroma de castanha e é considero uma iguaria na Europa e nos Estados Unidos. Veja porque a versão negra do tão conhecido arroz é boa para a saúde:

Arroz preto: propriedades

Rico em ferro, o arroz preto possui 20% a mais de proteína que a versão branca, além de possui maior quantidade de fibras. Ele é riquíssimo em antocianinas, que melhoram a saúde do coração. Também ajuda a prevenir reações alérgicas respiratórias como asma e rinite por suprimir a ação da histamina, a substância que é a grande responsável por essas reações alérgicas. Por ser rico em proteínas, o arroz preto contribui para a regeneração. Além de todos esses benefícios para a saúde, a versão preta do arroz ajuda a emagrecer. Como possui grande quantidade de fibra, o grão proporciona sensação de saciedade, ajuda a queimar calorias e regula o funcionamento do intestino.

O grão é escuro porque é integral e conserva a película que o envolve. Essa “capa” dá um aroma e sabor diferente. A versão preta possui gosto mais exótico e marcante, é usada por diversos chefs. A cada 100g do grão encontram-se 20% a mais de proteína e oito vezes a quantidade de polifenóis em comparação com o arroz branco. Cada 100g do arroz preto contém 4g de fibras, 332 calorias e 0,34 mg de vitamina B1.

Comparação com o arroz integral

Considerando as propriedades de ambos, o arroz preto é melhor que o integral porque possui maior quantidade de fibras que ajudam na regulação do intestino, de magnésio que é responsável pela fixação de cálcio nos ossos, mais proteínas e menos calorias. A vantagem do arroz integral está na reposição de energia, graças à quantidade de carboidratos (77,5 g) que é maior se comparada ao do arroz preto (72 g.


Fonte: Bolsa de Mulher

sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

Suco anticelulite para entrar em forma


A celulite acontece quando há um acúmulo de gordura entre os cordões fibrosos, que ligam a pele ao músculo. Quando há gordura excessiva nesses pontos, elas pressionam a pele para baixo, criando a "casca de laranja", como são conhecidos os furinhos e ondulações da celulite. Para amenizá-la, você pode apostar em um suco que diminui a inflamação. Confira a receita:

- 350 ml água de coco
- 1 fatia de abacaxi
- 1 colher de sobremesa de salsinha
- 1 pires de couve-manteiga
- 3 folhas de hortelã
- Suco de ½ limão

Modo de preparo: Com auxílio do liquidificador, coloque o abacaxi, a salsinha, a couve e a hortelã, sem que ultrapassem o limite da tela do filtro. Em seguida, acrescente a água de coco e o suco de limão até, no máximo, a indicação de 1 litro no copo do liquidificador. Bata bem. Dica: para ficar refrescante, acrescente algumas pedrinhas de gelo e beba em jejum todos os dias de manhã.


Fonte: Ig

quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

Os benefícios da quinoa para a saúde da mulher


Não é à toa que a quinoa vem ganhando espaço na mesa dos brasileiros. Considerada um dos alimentos mais completos em nutrientes pela Academia de Ciências dos Estados Unidos e pela Organização das Nações Unidas, equiparando-se apenas ao leite materno, ela previne a osteoporose e o câncer de mama.

O grão tem a quantidade ideal de calorias, proteínas, gorduras e carboidratos, e pode substituir o arroz nas refeições. Além de grãos, a quinoa também é encontrada em forma de flocos ou farinha. Rica em fibras, a quinoa dá a sensação de estômago cheio, fazendo dela um auxiliar da dieta. E os fitoestrogênios, substâncias naturais que "imitam" a ação do estrogênio no organismo, ainda combatem os sintomas da TPM e da menopausa.

O grão pode ser misturado em sopas, saladas, sucos, risotos, pães, bolos e tortas. Se for consumir em forma de flocos, polvilhe no iogurte, em vitaminas e na salada de frutas. Já a farinha de quinoa pode ser usada como base para pães, pudins, mingaus e biscoitos.

Outros benefícios da quinoa para a saúde da mulher são: regular o intestino; aumentar a disposição; retardar o envelhecimento; recuperar as fibras musculares; controlar os níveis de colesterol, glicemia e triglicérides no sangue; combater a anemia, problemas urinários e doenças do fígado; além de prevenir a osteoporose, câncer de mama, doenças do coração e outras alterações decorrentes da carência de estrogênio na menopausa.


Fonte: Ana Maria