A Medicina Ortomolecular feita da maneira certa!

segunda-feira, 31 de março de 2014

Controle o vício por doces com 7 dicas fáceis



O açúcar não é somente um vilão da balança. Ele também acelera o envelhecimento da pele. Isso mesmo! Comer muitos doces estimula a glicação que, em palavras simples, “gruda” nas fibras de colágeno e elastina (responsáveis pela sustentação da pele) e provoca um verdadeiro estrago! O resultado? Rugas e flacidez. Por isso, hoje eu reuni 7 dicas para você aprender a controlar o apetite por doces. Confira:

1. Troque a torta por uma gelatina 

Na fome, o nosso corpo tende a preferir sobremesas feitas com margarina, leite e muito açúcar. Procure controlar o desejo e prefira uma gelatina, que além de pouco calórica, ainda é rica em colágeno (ajuda a melhorar a pele). Se o momento “gordice” for incontrolável, experimente bater a gelatina já pronta com um iogurte light. Mata a vontade louca pelo açúcar e não coloca a dieta a perder. 

2. Aposte nos sabores fortes 

Bateu vontade de chocolate? Vá de meio amargo. Eles têm propriedades antioxidantes e não contém açúcar que estimula a vontade de comer mais. Além disso, o sabor mais acentuado deixa você satisfeita com uma porção menor. O azedinho da mousse ou da torta de limão dão essa mesma sensação. 

3. Acerte na hora 

Depois do almoço, como sobremesa, o doce engorda menos. As fibras presentes na refeição reduzem a absorção do açúcar. Até uma hora antes do exercício também é uma boa - as calorias serão usadas na aula. 

4. Divida a sobremesa com os amigos

Ao invés de pedir um pedação de torta para comer sozinha, que tal repartir a tentação com os amigos durante o almoço? Assim todo mundo mata a vontade de doces e, ao mesmo tempo, come menos açúcar.

5. Cheire o chocolate 

Parece coisa de maluca, né? Mas acredite, funciona. Na maioria das situações em que imploramos por um doce, não estamos com fome, e sim, com vontade de comer. A sensação boa que temos ao comer doces também pode ser conseguida sentindo o seu cheiro. É como se enganassem o cérebro, fazendo-o achar que o doce já foi ingerido e inibindo a vontade de comer mais. 

6. Masque chiclete 

Sem açúcar, claro. Sabe aquele chiclete que vem em 5 unidades e não contém açúcar? Ele é ótimo para driblar a fome, principalmente quando você não está próxima de nenhum alimento saudável. Passou perto de um Fast Food? Jogue um chiclete de hortelã na boca e agüente firme. O ato de se distrair com uma goma na boca estimula a serotonina, reduzindo a fome e deixando você menos ansiosa.

7. Experimente a Polidextrose

Se todas as sugestões acima ainda não forem suficientes, você pode recorrer a Polidextrose, da qual já falei aqui. Ela é capaz de regular o intestino, eliminar o inchaço, trazer saciedade e ainda ajudar naquelas horas onde um doce é bem vindo, já que pode ser encontrada nas versões de shake, farinha (o sabor é doce) e até balas de goma.

Fonte: Boa Forma

sexta-feira, 28 de março de 2014

Dicas de chás que amenizam o estresse e eliminam o inchaço



O inchaço abdominal (retenção hídrica) pode ser causado por vários motivos, entre eles o estresse. Quando os seus ânimos estão alterados, a produção de insulina e cortisol no organismo aumenta. Esses dois hormônios contribuem para a retenção hídrica. Os níveis altos de insulina dificultam a eliminação de sódio, mineral que retém água no organismo. Já o cortisol diminui a atividade renal, que também pode causar o inchaço.

Por isso, o ideal para reduzir o inchaço é relaxar. Uma boa dica são os chás, que além de acalmar, também podem agir como diuréticos (eliminando o excesso de líquidos do corpo).

A camomila é calmante, reduz a ansiedade, dor de cabeça, cólicas, gases e cãibras. Faça uma infusão com 6 a 12 gramas da planta. Já a lavanda pode ser utilizada não somente pelo seu aroma, mas também pelos seus poderes no combate à ansiedade, dores de cabeça, hipertensão e até depressão. Experimente tomar o chá diariamente, colocando duas colheres de chá de lavanda em uma xícara de água fervente.

O capim-limão possui ação calmante, diurética e bactericida, além de combater insônia, cólicas e resfriados. 20 gramas da folha em 1 litro de água são a quantidade ideal. Já o gengibre age como expectorante, melhora a digestão, a respiração, a circulação, gripes e dores de cabeça. Consuma de 1 a 4 gramas por dia.

Por fim, a canela fortalece e harmoniza o fluxo da circulação, é expectorante, analgésica e antiinflamatória. A ingestão ideal é de 1 a 6 gramas por dia. Aproveite para tomar os chás durante a noite. Além de ter uma boa noite de sono, é enquanto dormimos que os nutrientes agem no organismo.

segunda-feira, 24 de março de 2014

4 dicas para ter a barriga chapada


Por mais milagrosa que uma dieta possa ser, sozinha ela não pode tirar aquele excesso de gordurinha localizada no abdome. Exercícios físicos também não ficam de fora (veja aqui o post sobre o assunto). É preciso aliar uma alimentação regrada a alguns truques que irei compartilhar com vocês hoje.

O primeiro passo para alcançar a barriga dos sonhos começa dentro da boca. Mastigar e processar bem os alimentos são essencial para atingir o objetivo. Quanto mais se mastiga, mais digestível fica o alimento, evitando o indesejado efeito estufado. Se não trituramos a comida de forma correta, sobrecarregamos o estômago e distendemos a região.

Outra dica valiosa é comer menos diversas vezes ao dia (o ideal é ser de 3 em 3h), pois o excesso aumenta o volume no estômago. O truque é diminuir a quantidade nas refeições e fazer pequenos lanches nas brechas. O ritual de fazer a refeição também faz toda a diferença: faça-o sem pressa, num ambiente calmo.

As fibras também são poderosas aliadas à barriguinha flat. Elas melhoram o trânsito intestinal, eliminando o efeito de abdome estufado. Você pode encontrá-las nas frutas, hortaliças e nos produtos integrais. Mas cuidado com o exagero! Consumir muitas fibras pode fazer o efeito reverso, ocasionando cólicas e inchaço. Um ótimo truque é beber bastante líquido durante o dia para eliminar o excesso.

Por fim, evite alimentos muito condimentados ou ricos em sal. O alto consumo de sal, como vimos em um outro post, retém a água e provoca inchaço no corpo. Os condimentos, por sua vez, irritam o intestino e aumentam a formação de gases. Azeitonas, anchovas, salgadinhos em geral, picles, carne seca, defumados e embutidos (salame, presunto, bacon), queijos salgados e muito temperados (gorgonzola, parmesão, roquefort), catchup e molhos prontos para saladas podem se tornar vilões para sua dieta.

E claro, não esqueça de aliar todas essas dícas com a prática de exercícios físicos. Assim, não tem como errar.


Fonte: Revista Saúde

quarta-feira, 19 de março de 2014

7 motivos para incluir os grãos à sua alimentação



Para quem quer manter uma alimentação saudável, perder peso e reduzir medidas, incluir os grãos na dieta é essencial. A linhaça, amaranto, feijão-branco, chia e quinoa são ótimas opções para turbinar a dieta. Quer saber por que eles fazem tão bem à sua saúde? Confira todos os benefícios:

1. São fontes de fibras, vitaminas, minerais e antioxidantes.

2. Uma dieta com grãos integrais auxilia na perda de peso a longo prazo. Por possuírem muitas fibras e baixo índice glicêmico, eles mantêm o nível de insulina baixo. Assim, menos gordura é armazenada e você sentirá menos fome entre as refeições.

3. Devido à quantidade de fibras e antioxidantes, eles diminuem o risco de câncer no pâncreas, estômago, cólon, mama, útero e ovários.

4. Reduzem o risco de desenvolver doença cardíaca. Se consumidos diariamente, diminuem a pressão arterial, baixam o colesterol "ruim" e aumentam o colesterol "bom".

5. Grãos sem glúten são ótimos para quem tem intolerância a essa substância. Lembre-se, porém, de que eles devem ser integrais.

6. As fibras dos grãos são ótimas contra problemas intestinais. O consumo regular deles alivia o desconforto causado pela constipação e pelas hemorroidas.

7. Se consumidos regularmente, ajudam a evitar o desenvolvimento de diabetes tipo 2.

FONTE: A dieta milagrosa dos grãos

quarta-feira, 12 de março de 2014

Os poderes do óleo de macadâmia


Antigamente qualquer alimento com a denominação “óleo” era considerado ruim para o organismo, por se acreditar que eles aumentavam os níveis de colesterol ruim no sangue. Mas ultimamente vimos o aparecimento de diversos óleos benéficos para a saúde, como o óleo de coco, do qual eu já falei aqui.

Hoje a minha dica vai ser de outro óleo que também faz muito bem para o corpo, seja consumido na alimentação, ou na forma de cosméticos: o óleo de macadâmia. Com um sabor suave, ele é um aliado no combate ao colesterol, ao envelhecimento e às doenças do coração.

Estudos já comprovaram que apesar de conter gorduras na sua composição, o óleo de macadâmia ajuda a diminuir os níveis de colesterol LDL (o colesterol ruim) no organismo, auxiliando no controle do peso.

Possui vitaminas e minerais como: cálcio, fósforo, ferro, vitamina E, tiamina, riboflavina e niacina. O óleo de macadâmia também é rico em ácido palmitoleico, também chamado ômega 7, uma das substâncias presentes na pele. Por isso, seu consumo regular combate o ressecamento da pele e o envelhecimento precoce.

A dica é utilizar o óleo para temperar saladas, em pratos frios ou massas, e sua sugestão de consumo é 1 colher de sobremesa duas vezes ao dia. O óleo de macadâmia pode ser encontrado em lojas de produtos naturais pelo Brasil.

segunda-feira, 10 de março de 2014

7 erros cometidos em uma dieta


“Começo a dieta na segunda-feira”. Se você se identificou com essa frase, é porque ao menos uma vez na vida já tentou reorganizar sua vida alimentar, seja por uma questão estética, seja por uma questão de saúde. Pode ser difícil abandonar velhos costumes de alimentação em nome de um estilo de vida mais saudável, e muitas pessoas acabam caindo nos mesmos erros. Confira quais:

1 – Não incluir exercícios na rotina
Embora a alimentação seja parte importante tanto do processo de perda de peso quanto do objetivo de levar uma vida saudável, os exercícios não devem ser deixados de lado em nenhuma das duas situações. Praticar algum tipo de atividade física condiciona o corpo e ajuda o organismo a se manter são.

2 – Exagerar no álcool
A ingestão de álcool também influencia negativamente na perda de peso, uma vez que a substância já é, naturalmente, bastante calórica – com cerca de 7 gramas calorias por grama. Além disso, cada bebida possui também seu próprio valor calórico, que também entra na soma da quantidade de calorias ingeridas. Portanto, mudar a alimentação é uma atitude mais eficiente quando aliada à diminuição da ingestão de álcool.

3 – Abrir muitas exceções
De vez em quando, é natural que se saia da programação de alimentação feita por você. Entretanto, se essas exceções forem muito frequentes, a tendência é que se tornem a regra. Força de vontade e dedicação são necessárias para que o novo tipo de alimentação se torne costume, de modo que você não precise fazer grande esforço para segui-lo.

4 – Saltar refeições
Quando se está em uma dieta, é comum que as pessoas pensem que quanto menos se alimentarem, melhor será o resultado final. Mas isso não é verdade. Manter um padrão de alimentação com ao menos seis refeições por dia, de preferência sempre nos mesmos horários. Isso permite que o organismo se adapte a um padrão e ajuda o metabolismo a funcionar corretamente.

5 – Comer rápido demais
Não apenas o tipo de alimentação é importante na dieta, mas também a forma de se alimentar. É necessário que se tenha um horário destinado especialmente à alimentação, para que se coma com calma. Isso ajuda, também, no metabolismo.

6 – Ingerir poucos líquidos
Os líquidos são necessários para regular o funcionamento do organismo. A água, claro, é o mais importante desses líquidos, mas não deve ser o único. Bebidas gaseificadas, como a água tônica e mesmo a água com gás, ajudam a expandir o estômago e, com isso, proporcionam a sensação de saciedade. Alimentos líquidos, como sopas e caldos, também não devem ser esquecidos. É importante que se ingira ao menos 2,5 litros ao dia.

7 – Acreditar piamente nos produtos light
Na maioria dos casos, esses alimentos realmente contêm menos calorias e são de grande ajuda na hora de perder peso. Mas, como eles ainda possuem muitos conservantes e outras substâncias químicas, alimentar-se apenas desses alimentos não é a opção ideal. O melhor, então, é escolher sempre verduras, legumes e frutas o mais próximo possível do natural, incluindo produtos light apenas como complemento de sua alimentação diária.


Fonte: Dicas de mulher

sexta-feira, 7 de março de 2014

Minha dica na revista Dieta Já: como acabar com a queimação

O site da revista Dieta Já publicou uma matéria sobre a queimação e o desconforto no estômago, e como prevenir e remediar este problema através da alimentação. E eu participei dando dicas! Clique na imagem abaixo e confira a matéria na íntegra.



Para evitar a queimação: Mastigue bem
Se alguns alimentos contribuem para o problema, outros o amenizam. Salmão e peixes ricos em ômega-3, goiaba, trigo verde e alimentos ricos em vitamina E são bons exemplos. “Evitar jejum, mastigar bem os alimentos e consumi-los em porções moderadas a cada três horas é fundamental. Quanto maior o volume de comida ingerida de uma só vez, maior o risco que o suco gástrico atinja o esôfago”, ensina Luciana Granja, ortomolecular (RJ).